Quarta-feira, 19 de Junho de 2019

Notícia

Sergipe se coloca no Brasil como uma das menores cargas tributárias para combustível de aviação

07 de Fevereiro de 2019 | 22:19

A utilização da rota aérea no destino Sergipe para pacotes de turismo ou em viagens a negócios pode ser considerada como uma das mais vantajosas do ponto de vista de tributação quando comparada entre os demais Estados da federação.

 

De acordo com levantamento da Agência Nacional de Petróleo (ANP), a alíquota do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) cobrada pelo Estado de Sergipe sobre o combustível utilizado por aviões (querosene de aviação e gasolina de aviação) está num patamar entre os menores (18%) e bem inferior a Estados como São Paulo e Mato Grosso (25%).

 

Em Sergipe, a legislação do ICMS garante ainda a possibilidade de redução da carga tributária para 12% para as operadoras de linhas aéreas desde que haja aumento em voos diários com abastecimento no Estado, o que equipara Sergipe a destinos turísticos muito mais visitados, como Rio Grande do Sul, Pernambuco ou Rio de Janeiro.

 

A superintendente de Gestão Tributária da Sefaz, a auditora fiscal Silvana Lisboa, explica que o Governo do Estado busca manter a competitividade frente a outros Estados, viabilizando a implementação de políticas de turismo e a atratividade para empresas aéreas operarem no Estado.

 

Silvana Lisboa também procurou desfazer algumas informações equivocadas a respeito da política de tributação do combustível utilizado pelos aviões. De acordo com a superintendente, e conforme a legislação estadual, a alíquota aplicada ao querosene de aviação (QAV) em Sergipe é 18%, sendo reduzida para 12% desde que as companhias aéreas criem ao menos um novo voo diário.

 

“A informação criada está totalmente errada: primeiro porque o querosene de aviação possui redução de base de cálculo, de forma que a carga é de 12% ou 14,5%. Segundo, porque sobre o querosene de aviação não há incidência de percentual direcionado ao Fundo Estadual de Combate à Pobreza”, explicou, citando o item 34 do Anexo II do Regulamento do ICMS, convalidado pelo Convênio Confaz 15/2018.

 

Silvana complementou a correção sobre as informações acrescentando que a incidência de percentual para o Fundo de Pobreza é a gasolina de aviação – outro tipo de combustível, diferente do QAV –, utilizada por pequenos jatos, portanto, pouco consumido em Sergipe.

  • Medium 05c807115e693ce59a17b6d9592f1178
Medium 05c807115e693ce59a17b6d9592f1178